Minha Experiência na Rio+20

                Quase uma semana após o final da Conferência, aqui estou. Bom, devo começar dizendo que este voluntariado foi bem diferente de como eu imaginava que seria. Foram 10 dias corridos de eventos e minha alocação não foi a mais movimentada de todas, mas acabei gostando do resultado final que o evento me proporcionou ...
                 Vou começar falando sobre o meu local de trabalho, o Píer Mauá. Comumente usado como Terminal para Navios e Cruzeiros que chegam a cidade do Rio de Janeiro, o Píer também abriga diversos eventos e shows como o Fashion Rio. Durante a Rio+20, o Píer recebeu exposição da Sociedade Civil, do Governo Brasileiro e de diversos ministérios do Brasil.

Armazém 3 do Píer Mauá, sede da Expo Brasil durante a Rio+20
                  O Armazém 1 estava destinado a empresas particulares nacionais e internacionais, no Armazém 2 estavam alguns ministérios como o da Saúde, dos Transportes e Relações Exteriores, assim como o Correios. O Armazém 3 foi a sede da Expo Brasil, exposição voltada para as atitudes do governo Brasileiro em relação ao desenvolvimento sustentável. Já o Armazém 4, foi sede da Pop Ciência, evento do Ministério da Ciência e Tecnologia voltado para o público jovem e contou com a presença da Fiocruz. Entre os armazéns 1 e 2 havia uma exposição chamada Agro Brasil (que foi alvo de protestos dia 21/06).

Minha atuação foi basicamente ...

                 ... me relacionando diretamente com o público que estava visitando o Píer. Alguns dias fiquei na sala de Transmissão simultânea, que foi pouco visitada e onde era transmitido ao vivo tudo que acontecia no Riocentro e era passado no site oficial da ONU. Em outros dias fiquei na Help Desk do Armazém 1 auxiliando as pessoas que chegavam e estavam a procura de alguma atividade do Armazém. Por fim, ajudei as pessoas que estavam esperando pela visitação no Barco do GreenPeace, a fila estava imensa e contava com 3 horas de espera.
Alguns Voluntários e eu com nosso Supervisor, no Armazém 4.

                 Tanta mudança na função foi um ato desesperado de me sentir útil no evento. Não havia funções pré definidas para os voluntários, tive a sensação de sermos verdadeiros tapa-buracos. Percebi que havia diversas funções que poderiam ser executadas por voluntários mas que tinham pessoas contratadas para realizar. No fim me consolei e passei a aproveitar outras possibilidades que o evento poderia me oferecer, como novas amizades e contato com um outro modo de ver o meio ambiente.
                 No momento, é só isso. Quando tiver um pouco mais de tempo vou atualizar mais este post.

Postar um comentário

My Instagram

©2019 Mundo Voluntário. Todos os direitos reservados. Tema: OddThemes