Diz aí, voluntário - Hester Vieira - Hospitalidade



Após meses e meses de espera, passar por diversas etapas do processo de seleção e treinamentos online, finalmente comecei meu trabalho como voluntária na Copa das Confederações no dia 15 de junho. Para mim, foi um mix de emoções: alegria, motivação, medo, ansiedade. Não sabia o que estava por vir, mas tinha certeza que seria uma experiência incrível. Antes de falar sobre o meu trabalho, vou contar sobre os processos pelos quais tive que passar antes do evento.

Fiquei sabendo sobre o voluntariado da FIFA através da minha família. Muitos deles me ligaram, para não esquecer das datas de inscrição, e não perder a oportunidade de participar da Copa, pois seria algo único, principalmente por ser em nossa cidade, Belo Horizonte. Me inscrevi, e a partir desse momento, fiquei bastante animada para saber quais seriam os próximos passos. Fiz os treinamentos e testes online, dinâmica de grupo, e entrevista presencial o mais rápido que pude, por estar muito ansiosa. Os emails da FIFA demoravam muito a chegar, e por alguns momentos achava que estava fora do processo, o que me deixava muito apreensiva.

Enfim, no dia 8 de maio recebi o email me parabenizando por ser escolhida para participar do time de voluntários, e que fui alocada para a área de Hospitalidade, minha primeira opção. Obviamente, fiquei muito feliz, contei a ótima notícia para todos e já fui me preparando para os dias de treinamento e trabalho.

Meu treinamento presencial foi no sábado dia 8 de junho, no Mineirão. Lá descobri que na verdade meu treinamento seria on job, ou seja, aquele dia seria apenas para maiores esclarecimentos, e o treinamento referente à minha área seria durante os dias de trabalho. Aproveitei para fazer meu credenciamento e pegar o uniforme, porém não foi possível pegar o uniforme pois ainda faltava 1 semana para o meu primeiro dia de trabalho e tive que voltar na terça, dia 11. Foi aí que realmente percebi que o dia que tanto esperei estava chegando, e o coração começou a bater mais forte.

Confesso que não sabia exatamente qual seria a minha função na Hospitalidade. O treinamento presencial não foi muito esclarecedor, e estava bastante confusa, portanto o meu primeiro dia de trabalho seria importante. No dia 15 conheci minha coordenadora, a Flávia que é uma pessoa muito simpática e é uma ótima líder e os outros 8 voluntários, e coincidentemente, conhecia 2 deles. Todos foram muito pacientes comigo e me explicaram a nossa função. Cuidaríamos dos camarotes e lounges do estádio, que são 98 no total, observando a limpeza, funcionamento das luzes e TV, se estava tudo conforme o cliente pediu, e a situação das cozinhas dos camarotes, e da distribuição das “pulseirinhas” e passes de estacionamento dos convidados, entre outras atividades. Durante o jogo, nós fomos divididos em duplas e trios e cada um ficou responsável por um grupo de camarotes, e observamos o andamento das atividades dos garçons, recepcionistas e a reação dos convidados, se tudo estava certo.

O que mais gostei em meu trabalho foi o fato de poder circular por todo o estádio, ter acesso a vários lugares que nem imaginava que existiam e como tudo funciona antes de um evento tão importante, e pude conhecer muitas pessoas, além dos voluntários. Encontrei alguns problemas, como a falta de limpeza em alguns camarotes nos primeiros dias, luzes queimadas, TVs sem sinal, e a presença de pessoas não autorizadas nos dias de jogos. Os problemas mais graves foram passados para minha coordenadora através de um relatório, e outros nós corremos atrás e resolvemos.

Sem dúvida, o que levarei dessa experiência como voluntária é o esforço e a motivação que tive para fazer com que tudo desse certo, a amizade com outros voluntários e coordenadores, e a alegria de todos ao realizar esse trabalho maravilhoso na Copa das Confederações. Vou sentir muita falta de todas as experiências nas quais passei e das pessoas. Com certeza estarei de volta na Copa do Mundo! Até 2014!


Por Hester Vieira
Colaboradora do Blog Mundo Voluntário em Belo Horizonte

Um comentário :

  1. Olá Hester, fico muito feliz que seu trabalho como voluntária em BH tenha sido um sucesso. Também fui voluntária de Hospitalidade em Salvador e nossas funções foram totalmente diferentes : durante a abertura dos portões nos foi informado que eram necessárias apenas 02 pessoas para verificar os camarotes, enquanto os outros estavam na entrada, trabalhando praticamente como voluntários do STS. Tenho curso técnico em Hotelaria e me senti muito insatisfeita com a delegação de minhas funções, sequer tivemos treinamento!! A despeito disso, foi uma experiência gratificante.

    ResponderExcluir

My Instagram

©2019 Mundo Voluntário. Todos os direitos reservados. Tema: OddThemes