Quanta custa ser voluntário no exterior?

Planejamento é a palavra chave para qualquer viagem. Um viajante bem informado sobre o seu destino consegue visitar tudo que deseja e não tem imprevistos em sua estadia, principalmente imprevistos financeiros. Um voluntário não é um viajante qualquer, mesmo sem ganhos financeiros pelo seu trabalho, o voluntário deve arcar financeiramente com o deslocamento até a cidade sede, a hospedagem durante todo o evento e a alimentação fora do período de trabalho.


O site Vou na Janela listou 10 passos para planejar uma viagem e nós vamos adaptá-los para a necessidade de um voluntário.

1. Escolha seu destino


  Essa é a principal escolha que um voluntário deve fazer. Leve em consideração fatores como país-sede, data do evento, o idioma do país-sede e o tempo de preparação até sua viagem. Você, voluntário, pode escolher os eventos que estaremos seguindo e dando dicas. A lista de eventos você encontra clicando aqui.

Aplicar como voluntário não significa ser que você irá trabalhar efetivamente no evento. Por isso planeje-se para viajar não sendo voluntário ou até mesmo desistir da viagem caso não haja aprovação.

2. Estude seu destino


  Uma vez escolhido o evento que você irá aplicar, é preciso estudar a cidade que sediará o evento, os locais onde a competição irá acontecer, as maneiras de se deslocar pela cidade e o melhor local para se hospedar. Só quem já esteve nesses lugares, pode dizer realmente como é. Use e abuse das resenhas publicadas em sites, como o Tripadvisor.

Postaremos aqui sempre uma resenha com essas informações de cada evento, para ajudá-los nessa fase de preparação.


3. Documentos 



  Confira seu visto ou dê entrada no pedido, caso seja necessário. Alguns países exigem visto para o acesso de Brasileiros, consulte a lista no site do Ministério do Turismo, clicando aqui. Esteja com seu passaporte em dia, alguns países exigem que seu passaporte tenha validade por 6 meses após o fim da sua viagem, outros lugares exigem 90 dias. Não se esqueça de verificar se o seu país de destino exige que você tenha tomado determinadas vacinas.

Em países que exigem vistos, é comum a organização após a aprovação do voluntário enviar uma carta que pode facilitar a retirada do visto exigido ou até mesmo dispensar o visto de permanência/turismo em alguns casos.

 4. Comprar as passagens


  O ideal é começar uma pesquisa de preços assim que decidir o destino. O preço das passagens aéreas para cidades que sediam grandes eventos esportivos tende a aumentar, pois há muita procura. Além disso muitas pessoas procuram pelo mesmo destino na mesma época, afinal atletas, comissão técnica e espectadores também estão planejando ir até lá. Faça uma pesquisa em sites de busca de passagens mas compre diretamente no site da companhia área, assim você economizará as taxas cobradas por esses sites. A data do voo é importante e dois fatores devem ser levados em consideração. Um é a data do evento e o outro é a sua escala de trabalho, alguns voluntários começam a trabalhar muito antes da abertura oficial do evento.


Chegue sempre com 5 dias de antecedência. Esse tempo é ideal para sua aclimatação na cidade, eventual treinamento e até mesmo turismo. A volta pode ser logo após o término do evento mas lembre-se o aeroporto estará cheio e as passagens de volta podem ser difíceis de encontrar pela grande procura.

5.  Hospedagem


  As opções nessa parte são inúmeras e vai depender do seu perfil pessoal. Existem opções mais flexíveis como o couchsurfing, hostels com quarto coletivo, aluguel de quartos em casas locais ou até mesmo opções mais exclusivas, como aluguel de um apartamento inteiro ou quartos de hotéis (essas opções são ideais se estiver viajando em grupo). Definido seu tipo de hospedagem, pesquise muito em sites de busca. E sempre, confirme sua hospedagem direto com o hotel, preferencialmente por e-mail, para que você tenha uma confirmação oficial.

Dê preferência para opções com café da manhã ou alimentação inclusa isso irá diminuir seus gastos. Além disso, pesquise bem os possíveis locais onde irá trabalhar como voluntário para que se hospede próximo ou em locais de fácil acesso a transporte.

6. Quanto de dinheiro devo levar? 


  Essa é uma das perguntas mais difíceis de responder. Vai depender do quanto pretende gastar, quais passeios você vai querer fazer, se vai fazer compras, etc. Antes de fazer o câmbio de moedas, dê uma conferida no site do Banco Central. Eles tem uma ótima ferramenta que lista onde você pode conseguir a melhor taxa de câmbio para comprar e até vender moeda estrangeira. Pense em seus gastos imediatos e leve essa quantia em espécie, os gastos com compras podem ser pagos em cartões de viagem que você pode conseguir com seu banco. 
Leve em consideração os dias de sua escala de trabalho. Isso pode corresponder a uma economia e tanto no seu planejamento, visto que na maioria dos eventos você ganhará transporte na cidade e alimentação. No entanto, trabalhe com uma margem de erro para esses dias, sempre é possível um contratempo.

7. Seguro viagem 

Essa é uma parte bem importante do planejamento e que muitas pessoas ignoram. Além de ser exigido por alguns países o seguro viagem é excepcionalmente importante para os voluntários. Procure opções baratas e que tenham fácil acesso.

É comum que todos os voluntários estejam segurados pela organização do evento mas raramente essa cobertura extrapola as escalas de trabalho tornando o voluntário, principalmente estrangeiro, assegurado durante todo o período do evento. No Pan de Toronto 2015 os voluntários estrangeiros tinham o mesmo seguro de vida que os atletas, ou seja, durante todo o evento.

8. Roteiro 

Depois de pesquisar sobre a cidade, você terá várias dicas do que fazer no seu tempo livre na cidade. Planeje-se de acordo com a sua escala de trabalho afinal é importante conhecer a cidade como se fosse um turista. Não esqueça do tempo de descanso, ele é fundamental para desempenhar um bom trabalho.

9. Transporte


Um ponto importantíssimo do planejamento de uma viagem. Imagine chegar em um país desconhecido e não fazer ideia de como se locomover e chegar ao seu hotel? Tem um ditado que diz “quem tem boca, vai a roma” e é verdade, a gente se vira e descobre uma maneira. Mas pesquisar e já chegar a seu destino sabendo como se locomover é ótimo e você ainda ganha tempo para aproveitar mais a sua viagem. Lembre-se de que você deve se deslocar até o centro de credenciamento do evento para retirar a credencial e o uniforme além de chegar até o local onde você irá efetivamente trabalhar.

Em alguns eventos apenas a credencial é necessária para o acesso ao transporte público, foi assim em Toronto 2015. Em outros eventos o deslocamento se dá de forma diferente, como no Rio 2016. É preciso estar por dentro dessas informações.

10. Fazendo as malas

Essa parte é uma das mais importantes. Lembre-se que o voluntário não volta com apenas histórias para contar, é preciso trazer de volta o uniforme que você ganhará, as lembranças do evento como a pelúcia do mascote, pins entre outros, por isso economize nas roupas que você levará. Leve somente o essencial, use roupas leves em seus passeios, o tênis é essencial.



Os gastos gerais com a viagem para ser voluntário em um evento internacional depende de inúmeros fatores que começam pela escolha do evento. Na maioria dos eventos o voluntário fica mais de 10 dias na cidade e seus gastos são quase iguais a de um turista na metade desse tempo, isso porque alguns gastos são eliminados durante a atuação do voluntário no evento.

É pensando nisso, que nós do Mundo Voluntário faremos sempre um comparativo dos valores de viagem para cada evento que está em nosso planejamento. Começaremos pelos Jogos SulAmericanos de Cochabamba e Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires ambos no próximo ano.

Fique ligado em nossas redes sociais para mais informações como essa!
Curta nossa página no facebook e siga-nos no instagram.

Postar um comentário

My Instagram

©2019 Mundo Voluntário. Todos os direitos reservados. Tema: OddThemes